Sem transparência da Prefeitura, empresas de ônibus já operam terminais em São Paulo

Ônibus no terminal Sacomã, um dos 29 municipais da cidade de São Paulo que na calada da noite passaram a ser operados pelas viações. Foto: Adamo Bazani

Há aproximadamente um mês, as empresas de ônibus estão sendo responsáveis pela operação de 29 terminais municipais em São Paulo por onde passam dois milhões de passageiros por dia.

De acordo com reportagem de Bruno Ribeiro, do jornal O Estado de São Paulo, a medida aproveita uma cláusula do contrato com as empresas em 2003 e que nunca foi aplicada. Não houve publicidade, debate, discussão no CMTT – Conselho Municipal de Trânsito e Transporte ou qualquer informação que esclarecesse o cidadão sobre a mudança.

As empresas de ônibus recebem um valor extra para a operação dos terminais, mas a prefeitura, no Portal Transparência, não informa a quantia.

Apenas as viações do subsistema estrutural, filiadas ao SPUrbanuss – Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros de São Paulo, receberam a incumbência e o dinheiro a mais. As empresas do subsistema local, que se originaram das cooperativas, não estão administrando os terminais.

A prefeitura se limitou a dizer que a operação dos terminais pelas empresas foi publicada no Diário Oficial de 22 de julho de 2015, que citou o decreto no último dia 2 e que a licitação dos transportes, cujo edital definitivo deve ser lançado neste mês depois da consulta pública, prevê este modelo de operação.

Já as empresas, pelo SPUrbanuss, alegam que subcontrataram uma empresa especializada para operar os terminais e que aguardam a licitação do sistema de transportes ser concluída para só então fazer as melhorias nos espaços dos passageiros.

Neste caso, ainda não foi definido como será a contratação da empresa especializada pelas SPEs- Sociedades de Propósito Específico, que serão formadas pelas empresas de ônibus e ex-cooperativas que devem se associar. Serão 27 SPEs na cidade, com algumas empresas participando de mais de uma SPE, de acordo com o grupo de linhas que operarem.

Fonte: Blog Ponto de Ônibus

Comentários
0 Comentários

0 comentários: