Metrô deve ganhar 23 km de malha até 2018

Reportagem do jornal Folha de São Paulo desta quarta-feira, 22, não mostra nenhuma novidade que não sabemos sobre as inaugurações previstas para o Metrô este ano e o próximo, ultimo da gestão Alckmin.

O governo estadual pretende entregar, com muito atraso, até o próximo ano, mais 23 km de linhas metroviárias. Isso é mais do que foi entregue desde 2005 até hoje (21km). Caso efetivada as inauguraçãoes, o Metrô de São Paulo passa a contar com 101 km de extensão, ainda muito aquém do necessário.

A linha 4 – amarela, este ano, deve ganhar 2 estações no segundo semestre: Higienópolis-Mackenzie e Oscar Freire, porém, como estas estações estão no meio da linha já em funcionamento, não agregará para aumentar a rede. Ano que vem, quando for entregue São Paulo-Morumbi, aí sim haverá expansão. Vial Sônia, a última do ramal, fica para 2019, em outra gestão.

A linha 5 – Lilás deve ganhar 11,5km a mais de linha, saindo da Estação Adolfo Pinheiro chegando a Estação Chácara Klabin. Em  julho, está prevista a entrega das estações Alto da Boa Vista, Borba Gato e Brooklin. Para dezembro, serão inauguradas as estações Eucaliptos, Moema, AACD-Servidor, Hospital São Paulo, Santa Cruz (conexão com a Linha 1 – Azul) e Chácara Klabin (conexão com a Linha 2 – Verde) . Para 2018, fica Campo Belo, que terá integração futura com a Linha 17 – Ouro.

O monotrilho da linha 15 – Prata ganhará mais 10 km em 2018 e 8 estações: São Lucas, Camilo Haddad, Vila Tolstói, Vila União, Jardim Planalto, Sapopemba, Fazenda da Juta e São Mateus.

A reportagem não fala das obras que não vao ser entregues até 2018 mas vamos lembrar.

A linha 17 – Ouro, que era prevista para a Copa, ficará para a outra gestão.

A linha 6 – laranja, que ligará Brasilândia a São Joaquim, estão com as obras paradas desde o ano passado. A linha é tocada pela iniciativa privada e não conseguiu financiamento junto ao BNDES. O Governo do Estado deu prazo até junho para que as obras voltem. Não deve ser entregue antes de 2021.

A linha 18 – bronze, por monotrilho, que ligará a estação Tamnaduateí ao ABC, também será tocada pela iniciativa privada. Neste caso, o problema está do lado do Governo do Estado que é responsável pelas desapropriações e também nao conseguiu verba junto ao Governo Federal. O consórcio, que assinou o contrato em 2014, espera o desenrolar deste tema para começar as obras.

A expansão da linha 2 – Verde, que chegará a Guarulhos, também teve contrato assinados com as construtoras porém faltou verba por parte do Governo do Estado e obras não começaram.

Como a reportagem só foca em Metrô, vale lembrar que está prevista para março do ano que vem, a entrega da linha 13 – Jade, da CPTM, que ligará a linha 12 – Safira ao Aeroporto de Guarulhos. Já a expansão da linha 9 – Esmeralda, até Varginha, segue um imbróglio e não deve ser entregue antes de 2018.

Vimos no Via Trolebus

Comentários
0 Comentários

0 comentários: